Consideramos justa toda forma de Amor

18Depois de uma aula inspiradora no sábado, 13 de Dezembro, eu que vos escrevo, peço permissão para que possa escrever um pouquinho da minha visão um tanto quanto promissora, mas ao mesmo tempo pessimista, sobre os relacionamentos. Aliás, dou-lhes permissão para entrar um pouquinho na minha mente e conhecer um pouco mais do Vitor, esse mero mortal, que com todas as suas forças, tenta enlouquecidamente compreender os relacionamentos e a maneira como as pessoas lidam com isso.

Começo dizendo que não sou perfeito. Aliás, quem acha que é, não merece ler esse post e peço que se retire imediatamente. Posso não ser o mais hulmide, mas sei reconhecer o tamanho da minha imperfeição. Sou um simples rapaz que se julga um pouco capaz de escrever sobre algo que adoro e que me desconecto para falar: relacionamentos. Passado tal apresentação, vamos ao que interessa!

Gosto de ver e avaliar de longe ou de perto os relacionamentos alheios. Gosto, gosto sim! E, sobretudo, gosto de avaliar o meu e a pessoa com quem está comigo. Afinal, “Starts with you”, não é mesmo? Então, sendo assim, eu sou muito crítico comigo e com quem está comigo, além de ser analítico ao extremo. Por um lado bom, por um lado ruim. Mas estou tentando ser o mais compreensível possível (por mais difícil que isso seja pra mim). Trago uma bagagem que não me permite ser mais do que sou e o que sou saibam que é o meu limite. Até porque se estou fazendo algo levo à sério e me esforço ao máximo. Quem não namora pensando em casar, não merece namorar, assim como quem tenta abrir uma empresa e não pensa em expandir.

Quero deixar bem claro que sou extremista, é verdade, o famoso 8 ou 80. Sei que é um defeito, mas lido com isso de uma forma sadia (ou pelo menos tento). Uma dica aos que levam relacionamentos e amores “nas coxas”: zele por seu relacionamento como se já tivesse vivido uma vida inteira ao lado da pessoa. Afinal, seu objetivo deve ser viver uma vida inteira ao lado dela. Se esse não for seu objetivo, acredito que você não queira se relacionar. Acredite quando digo que um amor, só se faz amor, quando nos entregamos de corpo e alma e buscamos o infinito como menor espaço de tempo para vocês ficarem juntos.oracao-para-o-amor-x-amarracao-amorosa

Esse é o primeiro texto de 2015 e espero que venham muitos outros! Deixo meu adeus com uma sábia frase aos que acreditam ser únicos, exclusivos e acreditam ser auto-suficientes.

“Por trás de um grande homem, sempre tem uma grande mulher” (e vice-versa).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s