De Ferris Bueller aos Aventureiros do Bairro Proibido | O que valeu a pena ter assistido na Sessão da Tarde

Tema de entrada da Sessão da TardeSe você têm até 30 anos deve se lembrar muito bem dessa época. Pra quem estudava de manhã a rotina era chegar da escola, colocar seu prato de comida e ir pra frente da TV. Quantas vezes almoçamos assistindo Chaves, Chapolin no SBT ou ao finalzinho de Dragon Ball Z e GT que passavam na Globo, mas também esteve pelas telas do SBT e Band.

Aos sábados, não tinha alegria maior do que acordar cedinho e assistir sábado animado no SBT com horas e horas de diversos desenhos. E, isso, se tornava duas vezes mais divertido se estivesse aquela chuvinha e friozinho, era só se enrolar no cobertor e ficar tomando aquele Nescau quentinho embaixo do cobertor. Sem falar as tardes na extinta TV Manchete. Que saudades deixou essa emissora! Como era bom assistir aquela programação que parecia que quem estava por trás da grade da emissora eram crianças da nossa idade que sabiam o que queríamos ver: Yu Yu Hakusho, Cavaleiros do Zodíaco, Jaspion, Jiraya, Black Kamen Rider, Lion Man, Shurato, Super Campeões… Algo nessa época que marcou muito também eram os filmes da Sessão da Tarde da Globo, claro que os que passavam no SBT também marcaram, principalmente por causa dos peitinhos que sempre apareciam. Mas voltando ao post, hoje vamos lembrar um pouco dos filmes que marcaram nossa infância e que crescemos assistindo nas tardes na telinha da Globo.

Matthew Broderick como Ferris Bueller, Curtindo a Vida Adoidado.

Matthew Broderick como Ferris Bueller, Curtindo a Vida Adoidado.

Quem não se lembra da icônica cena de Ferris Bueller cantando a famosa música dos Beatles em pleno desfile no centro de Chicago. Curtindo a Vida Adoidado foi amplamente aclamado pela crítica e figura entre os 100 melhores filmes de todos os tempos em sites especializados nacionais e internacionais, inclusive no respeitado IMDB. O filme conta a história de Ferris, que falta a aula para curtir um dia de ‘folga’ com seu melhor amigo e sua namorada. O filme têm cenas clássicas que ficaram marcadas no cinema e a considerada por muitos a melhor atuação de Matthew Broderick, no cinema. O filme vale ser visto e revisto sempre, não só por ser um bom filme, mas por trazer aquela sensação de nostalgia e nos levar a alguns anos atrás.

Os Goonies e Sloth

QPoster, Os Goonies de Steve Spielberg.uem não simpatizava por essa turma? O legal de Os Goonies é que a maioria das crianças que assistiram a esse filme na época tinham a mesma idade dos protagonistas do filme. Quem não queria viver as mesmas aventuras que eles com aquela idade. Encontrar um mapa do tesouro e ter uma aventura por passagens subterrâneas, desvendar segredos, passar por diversas armadilhas e encontrar um navio pirata, tudo isso claro, juntos dos seus melhores amigos. Os Goonies marcaram época. Quem não lembra do Sloth, o grandão que se tornou amigo da turma? A verdade é que Os Goonies e Sloth deixaram saudades de uma época muito divertida das nossas infâncias.

Tira casaco, põe casaco? Não. Pinta cerca, pinta casa, lava carro…

Não, não estamos falando de Karatê Kid 5, estrelado por Jackie Chan e Jaden Smith. Embora a sequência não tenha sido ruim, os seus antecessores que marcaram nossas infâncias. Pat Morita como Sr. Miyagi, Karatê Kid.Quem depois de Karatê Kid não foi treinar alguns golpes no quintal ou até nos nossos irmãos e primos? Mas a verdade que o treino de Daniel San, ministrado pelo Sr. Miyagi, era bem repetitivo e chato. E, quando Daniel percebe isso, acontece uma das cenas mais legais do filme, quando ele se dá conta que está aprendendo Karatê de verdade. Cena esta que foi repetida na mais recente sequência do filme, mencionada no início. Karatê Kid foi um marco para a infância de todos que viram e reviram este filme. O filme ensinou mais que alguns movimentos de Karatê para copiarmos em casa, mas ensinou a sermos sempre honestos, persistentes e que em hipótese nenhuma devemos desistir, por mais difícil que seja a situação.

“Se o plano “A” não deu certo, não se preocupe, o alfabeto tem mais 25 letras para você tentar!” Sr. Miyagi. 

Quero ser Grande

Robert Loggia e Tom Hanks em cena marcante de Quero ser Grande.

Robert Loggia e Tom Hanks em cena marcante de Quero ser Grande.

Levante a mão quem quando criança ou adolescente não desejou ser adulto e ter independência ou que depois daquela bronca dos pais não quis sair de casa e poder viver sua vida. Agora levanta a mão quem já vive isso e não desejou voltar a ser criança um dia e não ter as preocupações de adulto? Acho que nas duas situações todos levantamos as mãos juntos. É com essa premissa que Quero ser Grande, estrelado por Tom Hanks, se desenrola . O que você faria se do dia para a noite você desejasse ser adulto e seu desejo se concretizasse? Josh tem este desejo realizado e descobre como é difícil a vida de adulto pode ser, ou não. Arrumando o emprego dos ‘sonhos’ (para realidade de uma criança na cabeça de um adulto talvez) ele se vê no mundo dos adultos. A impressão é que os filmes daquela época nos tocavam de uma forma diferente, pois nos faziam pensar como seria a gente naquela situação. Assistindo Quero ser Grande, na época, você não deixa de se imaginar como seria ter uma vida de adulto do dia pra noite, e no fim vemos o quanto é importante viver um momento de cada vez.

Wil Wheaton, River Pheonix, Corey Feldman e Jerry O’Connell, elenco de Conta Comigo.

Wil Wheaton, River Pheonix, Corey Feldman e Jerry O’Connell, elenco de Conta Comigo.

Conta Comigo

Outra aventura no estilo de Os Goonies, mas essa com um tema um pouco mais dramático. Quatro amigos resolvem se aventurar em uma floresta em busca do corpo de um adolescente que estava desaparecido. Com este enredo que Conta Comigo se desenvolve. O filme é uma adaptação de um conto do mestre do terror e ficção Stephen King, e por isso, concorreu ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado. Conta Comigo nos coloca naquela situação de “e se fôssemos nós e nossos amigos”. O filme tem uma história bonita de amizade e companheirismo e deixa isso bem claro. Vale a pena ser visto e revisto, não só pela nostalgia, mas por sua história.

Vampiros à tarde

Poster, Os Garotos Perdidos.

Poster, Os Garotos Perdidos.

Não era só o Blade que caminhava durante o dia. Quem não lembra de Os Garotos Perdidos? Com Kiefer Sutherland em seu elenco, o filme era um mistura de terror e aventura. Uma família se muda para Santa Carla, na Califórnia e em pouco tempo percebe que a cidade não é tão pacata quanto parece. Enfestada por vampiros e seu líder é um cidadão longe de qualquer suspeita. Os Garotos Perdidos se desenrola em uma trama que marcou nossas infâncias e que mesmo sendo de 1987 ainda dá muito tapa na cara de vampiros que brilham no sol por aí!

Muita Confusão em Chinatown

Os Aventureiros do Bairro Proibido

Poster, Os Aventureiros do Bairro Proibido.

Uma turma da pesada vai aprontar muita confusão em Chinatown. Achou mesmo que iríamos esquecer do narrador das chamadas da Sessão da Tarde? Claro que não. Era mais ou menos assim que era a chamada para o clássico Os Aventureiros do Bairro Proibido. Este filme, para mim, foi o mais divertido desta época. Recentemente, soube que ele foi um grande fracasso no cinema americano na época, foi daquelas notícias que te faz ficar com o queixo caído. “Mas como assim?” Como a maior diversão dos 80 para mim foi um fracasso de bilheteria? Quer saber? Não me importo! Os Aventureiros do Bairro Proibido foi um filme que me proporcionou uma hora e meia de diversão. Kurt Russel estava ótimo como Jack, o típico caminhoneiro americano, amigo de Wang Chi, que tem sua noiva sequestrada no aeroporto por um mago de 2000 anos de idade. Começa então a aventura de Jack e seus amigos em busca da noiva do seu amigo, pelo submundo do bairro chinês em plena Manhattan. O filme envelheceu bem, apesar de os efeitos especiais da época serem ridículos para os dias atuais, o filme ainda diverte bastante e trás aquela sensação de quanto foi boa essa época.

Mais da sessão da tarde dos anos 80 e 90

De Volta Para o futuro (1985)
Dirty Dancing (1987)
E.T. O Extraterreste (1982)
Esqueceram de Mim (1990)
Falcão – O Campeão dos Campeões (1987)
Jamaica Abaixo de Zero (1993)
Jurrasic Park (1993)
Loucademia de Polícia (1984)
Máquina Mortífera (1987)
Meu Primeiro Amor (1991)
O Grande Dragão Branco (1988)
Os Caça Fantasmas (1984)
Te Pego Lá Fora (1987)
Top Gun (1986)
Um Dia a Casa Cai (1986)
Um Morto Muito Louco (1989)
Um Príncipe em Nova York (1988)

Deixaram muita saudade…

Faltaram alguns filmes, mas o espaço é curto. Mas se você viveu e aproveitou esta época como eu, com certeza bateu aquela mesma sensação nostálgica que eu tive ao Gizmoescrever este post. Mas uma certeza todos podemos ter: quem viveu o conteúdo dos anos 80 e 90 e cresceu assistindo os filmes e desenhos daquela época foi feliz.

Até a próxima pessoal.

Anúncios

Um comentário sobre “De Ferris Bueller aos Aventureiros do Bairro Proibido | O que valeu a pena ter assistido na Sessão da Tarde

  1. Pingback: Stranger Things | Nostalgia à vista ou vislumbre do Futuro? | Ressaca Filosófica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s